domingo, 24 de maio de 2009

Morte em Veneza

Thomas Mann tem como personagem principal, em um romance curto, mas nem por isso rápido, um famoso escritor chamado Gustaw Aschenbach, que após conquistar fama e prestígio, encontra-se impaciente. Sem saber o que busca, esse senhor arruma suas malas e sai em busca de um lugar que acalme seus pensamentos e aflições.

Em suas andanças, Aschenbach vai parar em Veneza, onde irá conhecer um pré-adolescente e mudar completamente seus planos. A paixão platônica pelo menino irá fazer com que Aschenbach ignore a epidemia de cólera, que afasta os turistas da cidade, enquanto segue o seu alvo em um primeiro momento com os olhos e depois com as próprias pernas.

Morte em Veneza é extremamente descritiva, detalhando todos os locais, vestes e devaneios do escritor e do seu amado. Para os que não apreciam longos detalhes, o livro pode tornar-se cansativo, fazendo com que suas poucas páginas pareçam centenas.

Mas para os fãs de clássicos e adoradores de longas descrições, Thomas Mann trás uma visão interessante de um homossexualismo e pedofilismo velado no início de 1900 em uma sociedade de classe alta. Sendo mais uma prova de que alguns dos assuntos que discutimos hoje, não são nenhuma novidade.

2 comentários:

Livros de Bia disse...

Confesso que não sou muito fã de livros muito descritivos, mas de qq maneira valeu a dica!

Kelli Pedroso disse...

Ainda não li nenhuma obra de Thomas Mann. Pretendia iniciar pela Montanha Mágica, mas encontrei aqui uma boa dica. Obrigada!