segunda-feira, 28 de maio de 2012

Doidas e Santas

De 2 de outubro de 2005 à 13 de julho de 2008 é possível relembrar filmes, fatos políticos, livros, peças e notícias pelos olhos da cronista e romancista Martha Medeiros.

Doidas e Santas é uma coletânea de crônicas publicadas em jornais, sites e livros. Algumas, como a Mulher Banana, tiveram um sentimento de reencontro, já que eu ainda me recordava do texto lido na Zero Hora (ao qual confesso, ser uma delas).

Como li mais da metade do livro em uma manhã, enquanto o Brasil jogava com a Dinamarca, observei que alguns assuntos se repetem, como a morte e a velhice. O aproveitar e se aceitar estavam latentes em diferentes dias, meses e anos. O amor também está lá. Não na sua forma romântica, mais fantasiosa, mas na forma do dia-a-dia, onde a relação, o companheirismo e a troca são mais importantes que corpos definidos ou ter o carro do ano.

Certos textos marcam bem a época (como o que se refere ao adesivo de mais 4 anos de governo Lula não) e outros que serão atuais mesmo daqui a cinqüenta anos como o que incentiva realizar uma limpeza física em casa e praticar a arte do desapego.

Posso dizer que essa coletânea é uma mistura de dicas, história e revisão de sentimentos. E também uma forma de conhecer melhor a própria autora, já que mais de noventa por cento dos textos referem-se a experiências pessoais, em alguns casos, parecendo um bate-papo em uma mesa de bar.

Este foi o primeiro livro do gênero que li, e por conhecer muitos dos textos, não consegui formar uma opinião específica, mas a experiência foi no mínimo interessante.

Doidas e Santas
Martha Medeiros
L&PM Editores
2008 – 231 páginas

Nenhum comentário: