sábado, 26 de junho de 2010

O Grande Gatsby

Quando Nick se muda para o leste, tem como vista uma enorme mansão, conhecida por suas festas com vários convidados e penetras. O misterioso dono, Gatsby, é o legítimo conhecido desconhecido por todos.

O livro de F. Scott Fitzgerald é leve e intenso. Na contra-capa, compara-se a história de Jay Gatsby a uma tragédia grega, mas eu discordo. Nick, Gatsby e Daisy são apenas um retrato de uma sociedade que impera até hoje. Superficialidade, dinheiro, poder e máscaras. Estavam nos anos de 1920 e estão em 2010.


O Grande Gatsby é uma história de amor, decepção e a busca de um sonho. É amizade, fidelidade e solidão. E acima de tudo, uma narrativa agradável em qualquer momento do dia.

5 comentários:

Kelli Pedroso disse...

Não sei por que até hoje adio a leitura desta obra.

Andrea disse...

Kelli,

É um livro muito gostoso de ler, não deixe ele no final da tua pilha.

Carola disse...

Super atual. Dá pra fazer um paralelo com os ricos de hoje, tranquilamente. Sei porque senti tudo na pele bem recentemente.

Andrea disse...

Oi Carola,

Creio que o aspceto de atualidade foi uma das coisas que mais me impressionou. Me deixando em dúvida se a nossa evolução não se restringe a tecnologia.

Teresa Azambuya disse...

Bah, que coincidência! Comecei a ler esse livro ontem, e hoje acessei o blog!
Beijos a todos, estou com saudades dos antológicos!