domingo, 20 de fevereiro de 2011

As coisas que a vida esqueceu de me ensinar

Com frases do tipo “A atitude mais eficaz que podemos ter é a de esperar o momento certo de agir”, “Precisamos tomar muito cuidado com a semente que plantamos no decorrer de nossas vidas” e “Pior do que perder é deixar de ganhar” me fizeram ao finalizar a leitura retornar a página de dados do livro para verificar se o tipo não era auto-ajuda, mas ele realmente é categorizado como romance.

Dividido em dez partes, Thiago Mendes narra a história de Dináh, que no seu vigésimo sétimo aniversário conhece um rapaz, após o encontro ela inicia uma busca aos sinais do universo, ao mesmo tempo em que pensa no seu retorno a cidade de origem e relê cartas trocadas com um rapaz que conheceu na sua festa de quinze anos.

Conforme a personagem busca por seus sinais, ela vai tendo conversas com pessoas envolvidas com dança, teatro e literatura, onde o tema Deus é recorrente. Em alguns momentos a forma como os diálogos são encaixados lembram as situações comuns que geram as explicações no livro “O Mundo De Sofia”, só que sem a riqueza filosófica deste último, visto que a busca de Dináh é muito mais por um amor do que por conhecimento.

Além disso, existe um misterioso “f” que aparece após algumas frases, mas que não é a inicial de nenhum personagem, onde só encontrei no nome da editora: R & F. Esse acabou sendo o grande suspense não respondido pra mim, sobre quem é f.

Não sei se li este livro numa fase insensível, ou a sequência de leituras anteriores afetou a minha percepção sobre a história, mas a verdade é que achei a mesma imatura e chata. Um mini livro de auto-ajuda que mistura assuntos conhecidos com a busca pelo príncipe encantado.

Existem algumas cenas interessantes, como quando a personagem se banha nua em praça pública durante a noite, assistida apenas pela lua. Mas isso não é suficiente para a releitura para mim. A idéia em si de As coisas que a vida esqueceu de me ensinar, comprovada pelo final dado, poderiam ser surpreender o leitor, se a forma narrada fosse outra.

7 comentários:

Telma disse...

Olá, meu nome é Telma, li o livro do Thiago Mendes e achei super interessante. Mas não quero ir contra a sua opinião, estou apenas apresentando a minha!

Patricia Barros disse...

O livro é bom. Li tres vezes

Carlos disse...

Li o livro duas vezes e não encontrei o sentido. Mas gostei da história e das frases. Coloquei no meu orkut, msn...rs

O livro é simples, mas bem legal!

Karen Drago disse...

Hum... pela tua descrição inicial já me desinteressei. Acredito que seja um livro válido. Mas totalmente voltado para um senso comum. Estou certa? Até que enfim um literaturadolivro! Hehe!

Samara Ferreira disse...

Otimo o livro, estou lendo e achei maravilhoso

Samara Ferreira disse...

Otimo o livro, estou lendo e achei maravilhoso

Misael disse...

O livro é romance adolescente, é muito bom pra quem quer​ uma leitura simples e boa.