segunda-feira, 20 de junho de 2011

O Jovem Törless



Tão logo se abre o livro, o leitor se depara com uma citação de Maurice Maeterlinck “Tão logo expressamos uma coisa com palavras, e estranhamente ela como que se desmoraliza”.

A história começa com Törless e seus colegas circulando pela cidade antes de irem para um famoso internato, é nesse passeio que Basini, um personagem chave, é citado pela primeira vez.

No decorrer dos fatos é possível viver a confusão de Törless no que se refere a sua personalidade e sexualidade, e o fazem filosofar sobre matemática e religião.

Mexendo com Törless e fazendo com que este viva os desejos que tanto se envergonha, esta Basini, um rapaz franzino de poucos recursos financeiros que sofre, nas mãos de outros dois jovens, Reiting e Beineberg, que usam o colega para realizar rituais sádicos e testar suas teorias.

Neste pequeno mundo burguês, onde poder, dinheiro e sexo são moedas fortes, as figuras são raras, sendo que em um determinado momento é á própria versão adulta de Törless que surge ao leitor.

Recordando que Robert Musil publicou este livro em 1906 e ele é autobiográfico, observa-se que os mais castos nos dias de hoje ainda podem se apavorar com as cenas de violência e homossexualismo escondidos em um tradicional colégio.

“O Jovem Törless” é mais uma prova que livros são atemporais, e que problemas e situações tão discutidas hoje já estavam presentes no início do século passado.

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá,gostaria de ler o livro,porém,não o encontro em lugar algum,poderia me informar aonde consegui-lo?

Andrea disse...

Olá,

EU adquiri este livro quando os jornais de grande circulação republicaram vários clássicos. Imagino que em sebos on-line ele esteja disponível.