quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

O tempo entre costuras



Recebi a indicação deste livro na Livraria Cultura, quando folheava o segundo livro da Trilogia O Século. Conforme a vendedora, um livro que encantava quem gosta de narrativas que misturam fatos reais da nossa história.

E assim, foi com expectativa que iniciei o romance de María Duenas, principalmente por ser comparada a Carlos Ruiz Zafón, um autor que adoro.

O problema é que não simpatizei com Sira Quiroga, a personagem principal e narradora da história. Não torcia por ela, apenas acompanhava as suas aventuras, que nem sempre me pareciam verossímeis. 

A história começa às vésperas da guerra civil espanhola. Sira, então apenas uma simples costureira, vai com o noivo escolher uma máquina de escrever com o objetivo de se prepararem para vagas no governo. Na loja conhece Ramiro e se apaixona, trocando o que seria uma vida certa por uma aventura no Marrocos.

Mas no lugar de uma linda história de amor, acaba grávida, abandonada e endividada. Só que a sua sorte é muito maior do que as suas burrices, e ela encontra amigos que a ajudam montar o seu próprio atelier e conhecer mulheres influentes, entre elas a inglesa Rosalinda Fox, amante do personagem histórico Juan Luis Beigbeder, que convence Sira a se tornar espiã na segunda grande guerra.

De volta à Espanha, com passaporte marroquino, ela se torna a costureira referência da alta sociedade, seus ouvidos captam todas as informações, que são repassadas rapidamente para os ingleses. Entre as regras está ser vista em lugares luxuosos, com os quais ela já sonhara frequentar, e manter distância de antigas amizades.

Entre a vida fictícia de Sira, são relatados momentos importantes na história da Espanha, cuja população vive em grande sofrimento enquanto Franco abria as portas para os alemães. Em uma época que não se sabia quem era amigo e quem era inimigo, a personagem reencontra o amor, mas foge por não ter certeza de quem ele é.

E todo esse conjunto conseguiu tornar, pra mim, apesar da minha antipatia por Sira, a leitura prazerosa. Ao contrário do que poderia acontecer, não era um sofrimento reencontra-la todas as noites, pois o mundo que a cercava apagava o fato de parecer tão insípida para mim.

Por isso recomento sim a leitura de O tempo entre costuras, uma aventura que pode prender vários tipos de leitores.

O tempo entre costuras (El tempo entre costuras)
María Duenas
Tradução: Sandra Martha Dolinsky
Editora Planeta
 2009 – 477 páginas

Nenhum comentário: