domingo, 25 de abril de 2010

História do Cerco de Lisboa

Perdoem-me os leitores que gostaram desse livro, mas foi com um imenso alívio que finalizei a leitura na página 319.

Foram três meses de sofrimento em uma história que parecia nunca deslanchar. Existe uma história de amor, um olhar irônico sobre o próprio país e uma filosofia sobre as palavras “sim” e “não”.

Só que nada disso livrou o livro de ser muito chato. Depois de me apaixonar por “Ensaio sobre a cegueira” (já comentado nesse blog em março de 2009), a História do Cerco de Lisboa me fez ter vontade de fugir de José Saramago.

Como disse no início, me perdoem os que gostaram, mas espero não ter que reler a história do revisor Raimundo Silva e da editora Sara nunca mais, pois a tortura será bem maior do que a do protagonista esperando ser descoberto.

3 comentários:

Karen Drago disse...

Jesus, Andrea! Me deu vontade de espiar só pra conferir... :P

Andrea disse...

Vai fundo. Quem sabe você gosta? hehehe

Kelli Pedroso disse...

Andrea: Quando iras seguir meus conselhos? Tens talento, menina. Consegues fazer o leitor se interessar ate por uma história, aparentemente, chata. Acho que precisas de uma Agente Literaria (rs).