domingo, 27 de março de 2011

O Vendedor de Armas

Infelizmente o Dr. House não é exibido na minha TV (desconheço se algum canal aberto passe o seriado), por isso, confesso, comprei o livro por estar em promoção e não pelo personagem do ator/escritor Hugh Laurie.

Primeiro livro do autor, O Vendedor de Armas (Editora Planeta, 287 páginas), é narrado em primeira pessoa. Dividido em duas partes, na primeira o leitor é surpreendido junto com Thomas Lang em uma trama de espionagem, corrupção e manipulação. Na segunda parte é o próprio Thomas que irá surpreender.

Cheio de ironias e referências televisivas, O vendedor de armas trata da forma inescrupulosa de se fazer marketing de artigos de guerra. Quando Thomas resolve se apaixonar pela bela Sarah, vira uma marionete nas mãos da CIA. O erro dos americanos é tratar esse ex-militar como um idiota só por ser britânico.

O ritmo de filme e a mistura de emoções, características e situações, tornam o livro rápido e saboroso de ser lido. O humor negro para tratar da falta ética e honestidade é um tempero a mais, mostrando que na literatura os ingleses podem ter muito ritmo.

A influência da TV é bastante forte, pois não é difícil para o leitor transportar a história para a película. Mas isso não quer dizer que o livro seja superficial, muito pelo contrário, é uma história envolvente, que cativa da primeira à última página, permitindo imaginar se o herói terá uma série.

Enquanto Thomas não é pago para realizar nenhum serviço ou coagido a missões malucas, fica o convite para conhecer sua vida atribulada, o seu amigo Solomon e as belas mulheres que cruzam o seu caminho.

Nenhum comentário: