domingo, 15 de junho de 2014

Um Dia

Se Em fosse de carne e osso, eu queria que ela fosse minha amiga. E isso me fez passar quase todo o livro brigando com o autor, desejando que surgisse um cara que a fizesse esquecer Dex. Também foi Em a responsável por muitas lágrimas no final de uma noite, onde a tristeza me dominou e me fez ter um sono vazio de sonhos.

Não consegui simpatizar com Dex. Nem na alegria, muito menos na tristeza. É um homem egoísta e banana. Um exemplo de embalagem bonita, mas vazia. Passei quatrocentas páginas tentando entender o que Em viu nele, foi quando recordei que toda mulher, pelo menos uma vez na vida, sofre de diarreia mental. No caso de Em, logo após ela dar a descarga, a dita voltava.

Mas não pensem que Em é uma mulher maravilha, não mesmo, ela é adoravelmente comum, tem muitos sonhos, mas me parece tão perdida que não corre atrás de nenhum. Só que ela tem uma espontaneidade encantadora, hora sendo uma menina do interior, outra uma rebelde. Sente medo, fala sem pensar, ao mesmo tempo em que não expressa os seus verdadeiros desejos. Passeia entre o conformismo e o revolucionário, talvez por isso a escrita seja a sua melhor e pior amiga.

Vamos à história: Em e Dex passam a noite juntos no dia da formatura, é 15 de julho de 1988, um futuro os aguarda. Ele irá viajar pelo mundo, ela não sabe. A partir dai, o leitor irá acompanha-los durante vinte anos na mesma data, seus encontros, desencontros, brigas e desilusões.

O livro de David Nicholls é charmoso e engana o leitor, pois o que parece óbvio é dolorosamente desfeito. Curiosamente me recordou uma safra de filmes do final dos anos noventa, encabeçados por Cidade dos Anjos, onde felizes para sempre só se for agora, pois o dia de amanhã é nebuloso.

Não assisti ao filme, e a menos que ele apareça por acaso na minha tv, não irei me esforçar para ver. Tenho os personagens bem construídos na minha mente, e não quero me desfazer da imagem deles.

Um Dia (One Days)
David Nicholls
Tradução: Claudio Carina
Editora Intrínseca
1997 – 411 páginas

Nenhum comentário: