domingo, 1 de maio de 2011

Não Conte a Ninguém

Logo no início, Harlan Coben pega o leitor pelo emocional ao colocar o seu personagem principal, Dr. David Beck, para relatar seus últimos momentos com a esposa, antes de a mesma ser seqüestrada e morta.

Voltando ao presente, o personagem recebe um e-mail que quebra a sua apatia, cuja frase final dá título ao livro “Não conte a ninguém” (Sextante, 250 páginas).

Neste momento começa a correria e o rosário de mistérios, onde o autor mescla formas narrativas, usando a primeira para o personagem principal e a terceira para os demais.

Com citações ao caso de O.J. Simpson e ao serial killer Jeffrey Dahmer, fica claro desde o início quem são os inimigos de Beck, mas mocinhos inocentes creio haver poucos.

Por envolver corrupção, mentiras, segredo, tráfico de drogas e uma grande história de amor, achei o desfecho muito rápido. Embora os segredos sejam revelados ao longo da história, conforme Beck vai concluindo que sua esposa está viva, senti uma leve insatisfação no final da leitura.

Mas no geral “Não conte a ninguém” é uma história envolvente, contemporânea onde os clichês não atrapalham. Ótima para leitores (como eu) que gostam de fazer suposições e conferindo se estão certos ou não no decorrer das páginas.

4 comentários:

•*♥*• Sanzinha •*♥*• disse...

Andrea, eu estou com 3 livros do Coben pra ler aqui, e ainda não consegui ler nenhum... rs. Gosto muito desse tipo de livro. Estou doida de curiosidade! Quanto mais leio resenhas sobre eles, mais ansiosa eu fico... socorro! ahahaha

Beijos!

Andrea disse...

Oi Sanzinha,

Eu achei bem legal o estilo dele, e a leitura é super rápida (até pq se fica bem curioso). Espero que vc goste quando vc ler os três que estão na tua fila.

Bjos

Karen Drago disse...

Andrea! Vai ganhar a estrelinha na testa por ser a pessoa que mais posta no blog! =)

Andrea disse...

Não coloca a estrela agora, pq se eu resolver fazer mestrado vai ser difícil de postar hehehehe